7 formas de rentabilizar seu curso online

O e-learning é um mercado que vem se desenvolvendo bastante e com certeza pode garantir muitos lucros a um novo negócio ou impulsionar um negócio já existente. Durante a pandemia, a procura pela modalidade cresceu 156%, segundo o Sebrae-SP, mostrando que veio para ficar. É uma maneira de fugir do prejuízo do isolamento social previsto pela quarentena, onde cursos presenciais não podiam mais ser realizados. Apesar de ter diversos benefícios, ainda é difícil pensar em formas de rentabilizar um curso online, por isso, neste artigo vamos te dar dicas para ganhar dinheiro com o e-learning.

Um curso online é interessante tanto para quem oferece, quanto para o estudante, pois os dois saem ganhando: o estudante gasta menos do que gastaria com um curso presencial e terá um aprendizado tão rico quanto; e por sua vez, quem oferece terá que fazer um investimento menor do que se oferecesse um curso presencial – e muitas vezes tem um retorno superior. 

Ou seja, é uma modalidade mais lucrativa e que promete muito sucesso ao longo do tempo. Mas uma dúvida que permeia os empreendedores do ramo é: de que forma posso rentabilizar meu curso? 

Plataforma

É importante que, logo de início, você determine qual será a plataforma na qual o seu curso online será disponibilizado, pensando em fatores que são necessários para que o estudante tenha uma boa experiência realizando o seu curso e, assim, você possa ter um bom retorno – tanto financeiro, como avaliativo por parte dos estudantes. Até porque, se a experiência do público for positiva, o seu curso tem maiores chances de alavancar.

Portanto, uma plataforma de qualidade para que você possa ter liberdade para criar os formulários de acordo com o que acha necessário, personalizar seu conteúdo com alguma etiqueta que leve o nome da sua marca e que não seja repleta de burocracias na hora do pagamento, é a ideal para o seu curso. 

O E-inscrição pode te oferecer esses benefícios e ajudar você a rentabilizar seu curso online de uma forma muito acessível para o seu bolso. Conheça:

Mas na plataforma na qual o seu curso estará é importante que algumas informações importantes constem, como o preço do curso, por exemplo. E para isso, é preciso defini-lo. 

Defina seu preço

Antes da divulgação é necessário pensar e calcular quanto vale o seu curso e o investimento que você realizou para fazê-lo. Neste sentido, coloque no papel o quanto você investiu nos recursos que serão disponibilizados, e quais são eles: são e-books, ou vídeo aulas, ou a junção de mais de um recurso de ensino? Você oferece certificado de conclusão?

Informações como essas são essenciais na hora de definir um valor para o seu curso, avalie todos esses pontos e, assim, estipule um preço para os seus consumidores – é importante que o preço seja algo compatível com o mercado e que seja acessível para os estudantes que têm interesse no tema do curso. 

Além disso, é interessante definir como esse preço que você estipular será cobrado: escolha através do que você irá cobrar essa taxa, existem algumas opções para isso, como:

Preço do curso como um todo

É muito comum que alguns cursos cobrem dos estudantes o valor do curso completo, incluindo as aulas, o material didático disponibilizado e o certificado de conclusão, que é dado quando o aluno termina o curso e passou por todas as suas etapas.

Valor do certificado

Talvez seja o modo mais comum de rentabilizar um curso atualmente: com uma taxa para emitir o certificado, depois que o aluno completa o curso de forma gratuita – o que, muitas vezes, atrai muito o público por oferecer o curso gratuitamente e cobrar apenas o certificado.

Assinatura

Nesses casos, o empreendedor precisa ter uma maior confiança do público e já ter um número de alunos estipulado. Neste modo, é necessário que sejam lançados novos conteúdos sobre aquele curso continuamente – tornando possível o aperfeiçoamento do conteúdo através do tempo, semanalmente ou mensalmente, por exemplo. 

Afiliados

Os afiliados são profissionais que trabalham em função da divulgação e venda do curso online, com o objetivo de atingir um número maior de pessoas, rentabilizando ainda mais o curso. Esses profissionais ganham uma porcentagem como comissão a cada matrícula que conseguem realizar. 

Funciona da seguinte maneira: é feita uma espécie de parceria entre o empreendedor, pessoa que criou o curso online, e o afiliado, profissional do marketing que promove o curso do empreendedor – geralmente faz essa promoção por meio de um blog.

Toda vez que alguém clicar no link que fica no artigo do blog, o afiliado ganha uma pequena comissão. Pode ser uma ótima estratégia para quem deseja promover um curso online por um bom custo benefício, além dessa, mais algumas estratégias podem ser usadas como forma de atrair público: a pré-venda e o piloto.

Pré-venda e piloto

A pré-venda do curso, ou seja, a venda antes do seu lançamento, é interessante para medir o interesse do público pelo curso e se a busca do mesmo será maior do que o estipulado, ajudando o empreendedor a fazer uma média desses fatores. 

Além disso, uma boa forma de atrair novos alunos é oferecer um piloto aos que se interessaram pelo conteúdo, mas não tem certeza se querem comprá-lo.

Ou seja, uma aula ou um conteúdo didático será oferecido gratuitamente na página do curso. Dessa forma, é possível medir tanto o interesse dos alunos pelo curso quanto o número de alunos em potencial que o curso possui.

Mas para que tudo isso seja possível, o curso precisa ter uma página de vendas, um site e meios para que ele possa ser divulgado.

Site de vendas

Ter um site de vendas é primordial para quem deseja vender um curso online. Nele, os futuros alunos poderão tirar todas as suas dúvidas e terão acesso a todas as informações sobre o curso, como:

  • A promessa do curso – o que ele promete aos alunos?
  • Que conteúdo será disponibilizado 
  • Vantagens do curso
  • Vídeos ou imagens 
  • Preço do curso 
  • Depoimento de alunos
  • Chamada para ação ou call to action (CTA) para dar oportunidade do aluno ir direito para a matrícula 

Para que os estudantes possam chegar no site do curso, uma boa divulgação é indispensável.

Blog e redes sociais

Nas redes sociais os organizadores têm a chance de chamar o público para conhecer o curso e suas qualidades, já que milhares de pessoas acessam as redes sociais a cada minuto do dia. 

Os anúncios em redes sociais como Facebook, Instagram e LinkedIn, por exemplo, possibilitam um alcance maior do público em relação ao curso – ou seja, o curso terá uma procura maior do que se a divulgação fosse feita organicamente.

Canais em Telegram ou WhatsApp são interessantes para o público que já manifestou interesse e já está realizando o curso.

Além disso, o blog tem ganhado força novamente com o passar dos anos e tem o intuito de fazer uma divulgação de forma mais extensa, com textos mais longos e especializados em determinados assuntos. São interessantes por aparecerem nos navegadores de busca, dependendo se as técnicas de SEO estiverem boas no rankeamento dos navegadores.

Investimentos trazem lucros

Por fim, saiba que os investimentos feitos no e-learning tem grandes chances de retornar para o empreendedor, caso as estratégias de divulgação sejam efetivas e atrativas para o público, trabalhando com ferramentas e plataformas de qualidade. 

A modalidade cresceu muito na pandemia e promete ser muito rentável para quem entrar nesse mercado; trabalhe com conteúdos e profissionais de qualidade, para que possam impulsionar o seu curso. 

Bons investimentos garantem uma boa rentabilidade para quem investe. 

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *